A Eletroconvulsoterapia (ECT) é um procedimento médico que consiste em induzir estímulos elétricos na cabeça com o objetivo de gerar crises convulsivas no cérebro. É importante ressaltar que essa técnica é comprovada cientificamente e aprovada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Além disso, o tratamento com ECT é seguro, eficaz, possui poucos efeitos colaterais e tem uso de anestesia geral. O paciente fica inconsciente durante a sessão, porém a recuperação é rápida e ele é liberado algumas horas depois.

Como forma de desmistificar o método e deixar as pessoas mais tranquilas, hoje é permitido que um familiar esteja presente durante todo o procedimento. Isso tem contribuído para aumentar a adesão ao tratamento, que pode salvar vidas. Para saber mais sobre o conceito de Eletroconvulsoterapia Centrada na Família, acesse o blog http://ectcentradanafamilia.com.br/

Indicações

  • Transtorno depressivo maior
  • Transtorno bipolar – fases depressiva, maníaca ou mista
  • Transtorno Esquizoafetivo
  • Catatonia
  • Esquizofrenia refratária ou super-refratária
  • Síndrome neurolpetica maligna
  • Transtornos psiquiátricos na doença de Parkinson
  • Risco iminente de suicídio
  • Intolerância aos efeitos adversos do tratamento em curso
  • Piora em um quadro em tratamento que precise de uma resposta rápida e efetiva
  • Pacientes que não se adaptaram ao uso de medicações

Benefícios

  • Redução dos sintomas e, em alguns casos, remissão da doença
  • Melhora rápida de pacientes graves
  • Poucos efeitos colaterais
  • Resposta em pacientes resistentes à medicação
  • Possibilidade de tratamento para idosos e gestantes